Ironman: A distância de um sonho

Ironman: A distância de um sonho

Cheguei em Florianópolis na quinta-feira, dia 24 de maio um dia depois do meu aniversário.

Quando pisei no aeroporto, vi as faixas de boas vindas e entendi porque a cidade respira a prova.

Escolhi um hotel longe do burburinho, mas que desse pra curtir o clima pré-IRONMAN.

Passei na feirinha, encontrei todos meus amigos que durante o período de treinos, trocavam informações, alegrias e “perrengues”. Conheci atletas que eu admiro, fiz novas amizades. O clima entre nós era de boas energias. Ao mesmo tempo que eu queria que domingo chegasse logo, essa festa antes da prova eu não queria que terminasse.

Na sexta, fui no congresso técnico e depois arrumei todas minhas sacolas (special needs), chequei tudo várias vezes.

Desci pra pegar a bike que estava na revisão. Assisti um desenho pra relaxar (sempre faço isso na véspera de prova) e fui dormir.

Sábado no horário marcado, fui para o bike check-in . O staff da prova me acompanhou e já foi me dando várias dicas de como achar minha bike entre mais de 2.000. Cobri com uma capa porque chovia muito. Chequei tudo mais uma vez, olhei em volta…e me emocionei. Depois de tantas dificuldades, meses de treino, eu estava pronta.

Jantei no hotel e encontrei Oscar Galindez com sua família. Além de tirar uma foto com ele, ganhei um conselho: “vai doer pra vc, em alguns momentos, pra mim tb dói. Mas curta e aproveite cada minuto”. Nó na garganta. Subi pra descansar.

Acordei às 3:30, desci pra tomar café e me deparei com um clima de respeito e alegria tão grande, que sabia que tinha feito as escolhas certas para estar ali.

Fui para a pintura do número e depois pra areia da largada. Sentei, fiz uma oração, agradeci e chorei de felicidade. Estava amanhecendo e seria um dia lindo.

A natação ao lado de mais de 2.000 atletas, num mar muito mexido, por causa do mau tempo nos últimos dias, você não se sente só em nenhum minuto. Na saída da água, calmamente fiz a transição e fui pegar minha bike.

Tinha um bilhete na roda, me desejando boa prova, do staff das bikes. Fui pedalar muito emocionada, mas muito focada porque é a parte que iria ficar a maior parte do tempo sozinha. Procurei me alimentar nos horários que eu havia programado, já que na corrida não iria conseguir comer nada sólido.

Entreguei a bike e já fazia frio. Arrumei meus suplementos e saí pra correr. Os primeiros 21km, eu fiz com a razão. A segunda metade da prova faz você entender tudo.

A energia da torcida, das pessoas que te apoiaram, da sua família, da família dos seus amigos, que vai em peso pra essa prova… Era mágica.

A solidariedade e humildade dos atletas te dando força, te empurram pra chegada. O corpo sente o cansaço depois de um dia inteiro de prova, mesmo treinada.

Passou um filme pela minha cabeça.

Sofri um acidente durante os treinos e quase morri. Trabalhava as 9:00h da manhã então precisava acordar as 3:30h pra pedalar. Treinar pro IRONMAN requer organização e disciplina, senão fica muito mais difícil. Eu procurava aproveitar o tempo que eu tinha disponível. Li bastante, estudei o percurso, assisti muitos vídeos da prova pra manter a cabeça forte. Porque eu iria precisar muito dela.

Faltava 1km pra chegada. Entrei no funil. Eu via as luzes, as pessoas… Os staffs cantaram uma música pra mim quando passei . Quando cruzei o pórtico chorei de soluçar e ouvi meu nome : “Flávia, you are an IRONMAN!!!“

Me lembro perfeitamente de todas as sensações, e percepções que tive naqueles dias. Foi tudo perfeito.

Não quero colecionar medalhas de IRONMAN. Não é essa a essência das provas que eu faço.

Guardo do IRONMAN a realização de um sonho, diante de tantas impossibilidades.

E a certeza que eles, pra mim não tem limites. Nem distâncias.

 

Flávia Junqueira é Administradora hoteleira / Triatleta IRONMAN

 

        

 

Compartilhe: Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Comentários

  1. Parabéns por essa brilhante conquista! Resultado de muita dedicação e abdicação! Um dia chegará minha hora, deste feito!

  2. Flavinha, parabéns pelo relato! Tenho muito orgulho de ler esse seu depoimento pois tive a oportunidade de ver você iniciando no Triathlon e tudo isso demonstra sua força de vontade e persistência em terminar a prova de maior expressão para um triatleta que é o IronMan. Parabéns e sucesso sempre!

    • Meu amigo querido! Época de ouro a nossa. Sempre com uma palavra amiga. Muito obrigada . Administradora na profissão. Triatleta de coração.

    • Bibito !!! Época boa a nossa. Vc sempre teve uma palavra de apoio, em todos os momentos que nos encontramos. Isso faz toda diferença num esporte tão individual. Muito obrigada pelo carinho. Bjão

  3. Emocionante! Parabéns por esta conquista!????????????????????????Que motive outros atletas, pq encarar uma prova assim requer disciplina e abdicações. ????

  4. Flavinha, que história e texto emocionantes! Estou chorando aqui!!! Você é uma inspiração além de ser uma fofa! Rsrs parabéns por esta conquista! Bjim

  5. Flávia, que experiência maravilhosa!!! Muita emoção!!! Bjs

  6. Flavinha, que texto lindo! Nem consigo imaginar a realização que deve ser uma prova destas. Parabéns!

  7. Nossa Flavinha sem palavras muita emoção …. muito lindo .. ???????????? seu relato .. parabéns.. vc é uma IM de verdade ????????????????

  8. Legal Flávia. Parabéns…sua historia irá motivar outras pessoas a realizarem seus sonhos.
    abraços

  9. Estou emocionada!!
    Muito orgulho dessa Irmã!
    Parabéns pela escolha!
    Abraço
    Kris

Deixe seu comentário

Avalie este evento:
Ironman: A distância de um sonho


O seu endereço de e-mail não será publicado.