POR QUE EU CORRO?

POR QUE EU CORRO?

Sempre fui uma pessoa ativa, fã de esportes. Na adolescência jogava vôlei. No auge dos meus 15 anos eu chegava ao Praia Tênis Clube às 17 da tarde e só saía as 21:00hs. Treinava em todas as categorias que me aceitassem! Jogava como levantadora, obviamente, em razão da minha altura. Como se fosse ontem, me recordo que detestava a corrida de aquecimento. O que queria mesmo era entrar na quadra e começar a jogar. Nessa época, se me dissessem que meu esporte favorito se tornaria a corrida, provavelmente eu reagiria com uma boa gargalhada de incredulidade.

 

Passados uns vinte e poucos anos da febre do vôlei, a corrida de rua se tornou meu exercício e minha paixão. Não sei exatamente o momento em que a corrida ganhou um espaço tão importante em minha vida, mas lembro que há cinco anos atrás, correr 15 minutos na esteira da academia era sinônimo de muito sofrimento! Incentivada pelos meus professores do treinamento funcional, resolvi correr e fazer minha primeira prova de 5 quilômetros. Terminei literalmente empurrada por um deles, mas com a medalha garantida. Que sensação boa! Agradeço a eles até hoje por isso!

 

Quis repetir o feito: mais uma corrida de cinco quilômetros e depois uma de dez. Mais outra e outra e os desafios só foram aumentando: Dez Milhas Garoto, meia maratona e finalmente, minha primeira maratona em 2014 no Rio de Janeiro. 42 quilômetros! Quem diria…jamais imaginei que fosse conseguir. Mas eu fui lá e fiz! E já fiz mais duas maratonas depois dessa. No momento, estou inquieta e ansiosa para escolher o destino dos meus próximos 42km.

 

Minhas amigas de sempre, que me conheceram antes de eu começar a correr, acham que fiquei doida. Eu também, no começo, ficava me perguntando o me que levava a colocar, deliberadamente, meu corpo em uma condição física tão extrema. Além da prova ser desgastante, os treinos são difíceis. São meses de preparação. E durante esses meses, tem treino de força na areia, treino de velocidade nos tiros. Treino no sol escaldante e treino na chuva. Tem treino fácil, que vai no piloto automático. Tem treino que requer toda sua força mental. Tem treino coletivo com a equipe da minha assessoria esportiva e “corridaterapia” com as amigas que a corrida me presenteou. Tem treino em dupla com meu amor, melhor amigo e companheiro nessa vida! Mas tem também os treinos solitários…a grande maioria. Só eu e meus pensamentos durante 25, 28, 30, 32, 34 km!!! Você tem que gostar muito da sua própria companhia para enfrentar isso.

 

Então qual o motivo? Por que eu corro? Alguns dizem que é a endorfina e pode até ser. Mas é muito mais que isso. Todo esse esforço, cansaço e exaustão são recompensados por uma das melhores sensações que uma pessoa pode experimentar: a sua SUPERAÇÃO PESSOAL. Com aquela medalha no peito eu sinto orgulho e respeito por mim! Fui lá e fiz exatamente o que treinei para fazer. Nesse momento, eu sinto que posso fazer qualquer coisa na vida se eu quiser e se me esforçar para tanto. E ainda com o corpo cansado me pergunto: qual o meu limite? Qual será meu próximo desafio? E começa tudo de novo…

 

Aline Rabelo de Azevedo é Advogada e Maratonista

           

Compartilhe: Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Comentários

  1. Realmente essa sensação de dever cumprido, e saber que Somos Mais Fortes do que pensamos é Sensacional! Parabéns Aline!

  2. Aline querida! Parabéns pela caminhada. Se não fosse a corrida, não conheceria vc. Te admiro por essa disciplina. Essa dedicação nas coisas que vc faz.
    Um bj grande !

  3. Parabens Aline , voce e superação pura

  4. Parabéns filha. Feliz é aquele que faz o que gosta, porque sente prazer em ver diminuir a distância e a vitória cada vez mais próxima.

  5. É muito bacana vermos histórias de Superação como a sua !! Sinta se orgulhosa pelas suas conquistas e motivada para os desafios que virão !!

Deixe seu comentário

Avalie este evento:
POR QUE EU CORRO?


O seu endereço de e-mail não será publicado.