Qual a essência da sua corrida?

Conheci o esporte ainda criança, começando pela natação, com aproximadamente 5 anos de idade.

Passei por outras modalidades esportivas entre a infância e adolescência, mas a tal da corrida começou a me acompanhar a partir dos 12 anos de idade.

Tendo como inspiração meu avô materno, sempre fui incentivado a correr com ele, nessa época, em 1997, o treino era em torno de 3 km.

Com 15 anos de idade tive a primeira experiência mais intensa com a corrida, participar ao longo de um ano da equipe de atletismo do ensino médio. Essa foi a primeira vez que fiz treinos, fortalecimento e até participei como “árbitro” em uma competição interna.

Já alimentava um sonho na corrida quando adolescente. Participar da maior prova do Espírito Santo, as 10 Milhas Garoto. Era algo muito distante, parecia impossível para alguém que corria no máximo 5 ou 6km.

Desde então sempre pratiquei a corrida de rua, de forma recreativa, sem orientação profissional e sem objetivos.

Nessa época (2001 – 2011) treinava sozinho, sem acompanhamento de um treinador, correndo entre 4km e 7km. Não me preocupava com nada em termos de método de treinamento, intensidade, distância ou fortalecimento.

Apenas corria! E era muito bom, me conectava com o ambiente e sentia a endorfina.

A partir do ano de 2012 as corridas de rua se popularizaram em terras capixabas e decidi me desafiar. Fazer uma prova de 10 km.

Treinei sem muita noção, ainda achando que não conseguiria completar a prova sem caminhar. Mas deu tudo certo, alcancei a linha de chegada correndo o tempo todo e me sentindo bem. Foi mais fácil do que imaginava!

No ano de 2013 decidi que ia me preparar para realizar o sonho que alimentava desde o ano 2000, correr as Dez Milhas Garoto (aproximadamente 16 km).

Mas para isso procurei uma assessoria esportiva, para ter orientação de um profissional de educação física (Professor Felipe Rocha do TeamFR). Aí vieram as planilhas, o tal do pace, metas e objetivos com a corrida.

Tive a oportunidade de correr com um grupo maior, uma experiência muito boa.

Os anos foram passando, as metas mudando, distâncias aumentando, buscas por Recordes Pessoais (RP) e etc.

Em alguns momentos, com tudo isso, esqueci da essência da minha corrida.

Cada um tem a sua essência no esporte, o que te faz brilhar os olhos, acordar cedo ou treinar tarde da noite. Algo que só você sente com o esporte, te faz bem, te transforma em uma pessoa melhor.

Claro que a competição, o RP e as distâncias maiores são objetivos que nos desafiam a sair da zona de conforto.

Mas a grande questão é: você está treinando e fazendo isso tudo por você ou apenas porque “todos fazem”?

Essa é realmente a sua essência?

Ao longo dos anos, desde 2000 até 2018, percebi o quão importante é descobrir essa essência. No meu caso, sem dúvida, é sentir aquela “vibe” da época da adolescência.

Claro que hoje tenho metas a cada ano (as de 2019 já estão traçadas), mas a principal de todas elas é me divertir, me conectar com a natureza e fortalecer as amizades através do esporte.

Os RP´s e busca por novas distâncias para mim são consequência natural de me conectar a essa essência.

Mas a sua essência na corrida pode ser a competição ou apenas se manter ativo. Buscar pódio ou melhorar a qualidade de vida, além de outras diversas possibilidades.

Já se questionou qual a essência da sua corrida?

Gabriel Renaud

(instagram: @esporte_faz_bem).

 

         

2019-01-11T10:51:57+00:00

Um comentário

  1. Anônimo 11/01/2019 at 12:39 - Reply

    Show, o Mundo gira, mover-se é essencial para a Vida.

Deixe um comentário!